1Ó Deus, não estejas em silêncio! Não cerres os ouvidos nem fiques impassível, ó Deus!

2Porque eis que teus inimigos se alvoroçam, e os que te aborrecem levantaram a cabeça.

3Astutamente formam conselho contra o teu povo e conspiram contra os teus protegidos.

4Disseram: Vinde, e desarraiguemo-los para que não sejam nação, nem haja mais memória do nome de Israel.

5Porque à uma se conluiaram; aliaram-se contra ti:

6As tendas de Edom, dos ismaelitas, de Moabe, dos agarenos,

7de Gebal, de Amom, de Amaleque e a Filístia com os moradores de Tiro.

8Também a Assíria se ligou a eles; foram eles o braço dos filhos de Ló. (Selá)

9Faze-lhes como fizeste a Midiã, como a Sísera, como a Jabim na ribeira de Quisom,

10os quais foram destruídos em En-Dor; vieram a servir de estrume para a terra.

11Faze aos seus nobres como a Orebe, e como a Zeebe; e a todos os seus príncipes como a Zeba e como a Zalmuna,

12que disseram: Tomemos para nós, em possessão hereditária, as famosas habitações de Deus.

13Deus meu, faze-os como que impelidos por um tufão, como a palha diante do vento.

14Como o fogo que queima um bosque, e como a chama que incendeia as brenhas,

15assim persegue-os com a tua tempestade e assombra-os com o teu torvelinho.

16Encham-se de vergonha as suas faces, para que busquem o teu nome, Senhor.

17Confundam-se e assombrem-se perpetuamente; envergonhem-se e pereçam.

18Para que saibam que tu, a quem só pertence o nome de Jeová, és o Altíssimo sobre toda a terra.