1O Deus poderoso, o Senhor, falou e chamou a terra desde o nascimento do sol até ao seu ocaso.

2Desde Sião, a perfeição da formosura, resplandeceu Deus.

3Virá o nosso Deus e não se calará; adiante dele um fogo irá consumindo, e haverá grande tormenta ao redor dele.

4Do alto, chamará os céus e a terra, para julgar o seu povo.

5Congregai os meus santos, aqueles que fizeram comigo um concerto com sacrifícios.

6E os céus anunciarão a sua justiça, pois Deus mesmo é o Juiz. (Selá)

7Ouve, povo meu, e eu falarei; ó Israel, e eu, Deus, o teu Deus, protestarei contra ti.

8Não te repreenderei pelos teus sacrifícios, ou holocaustos, de contínuo perante mim.

9Da tua casa não tirarei bezerro nem bodes dos teus currais.

10Porque meu é todo animal da selva e as alimárias sobre milhares de montanhas.

11Conheço todas as aves dos montes; e minhas são todas as feras do campo.

12Se eu tivesse fome, não to diria, pois meu é o mundo e a sua plenitude.

13Comerei eu carne de touros? Ou beberei sangue de bodes?

14Oferece a Deus sacrifício de louvor e paga ao Altíssimo os teus votos.

15E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.

16Mas ao ímpio diz Deus: Que tens tu que recitar os meus estatutos e que tomar o meu concerto na tua boca,

17pois aborreces a correção e lanças as minhas palavras para detrás de ti?

18Quando vês o ladrão, consentes com ele; e tens a tua parte com adúlteros.

19Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua compõe o engano.

20Assentas-te a falar contra teu irmão; falas mal contra o filho de tua mãe.

21Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que era como tu; mas eu te arguirei, e, em sua ordem, tudo porei diante dos teus olhos.

22Ouvi, pois, isto, vós que vos esqueceis de Deus; para que vos não faça em pedaços, sem haver quem vos livre.

23Aquele que oferece sacrifício de louvor me glorificará; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.