1Por que se amotinam as nações, e os povos imaginam coisas vãs?

2Os reis da terra se levantam, e os príncipes juntos se mancomunam contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo:

3Rompamos as suas ataduras e sacudamos de nós as suas cordas.

4Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.

5Então, lhes falará na sua ira e no seu furor os confundirá.

6Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte Sião.

7Recitarei o decreto: O Senhor me disse: Tu és meu Filho; eu hoje te gerei.

8Pede-me, e eu te darei as nações por herança e os confins da terra por tua possessão.

9Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.

10Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra.

11Servi ao Senhor com temor e alegrai-vos com tremor.

12Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se inflamar a sua ira.