1Amo ao Senhor, porque ele ouviu a minha voz e a minha súplica.

2Porque inclinou para mim os seus ouvidos; portanto, invocá-lo-ei enquanto viver.

3Cordéis da morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim; encontrei aperto e tristeza.

4Então, invoquei o nome do Senhor, dizendo: Ó Senhor, livra a minha alma!

5Piedoso é o Senhor e justo; o nosso Deus tem misericórdia.

6O Senhor guarda aos símplices; estava abatido, mas ele me livrou.

7Volta, minha alma, a teu repouso, pois o Senhor te fez bem.

8Porque tu, Senhor, livraste a minha alma da morte, os meus olhos das lágrimas e os meus pés da queda.

9Andarei perante a face do Senhor, na terra dos viventes.

10Cri; por isso, falei: estive muito aflito.

11Eu dizia na minha precipitação: todo homem é mentira.

12Que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?

13Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do Senhor.

14Pagarei os meus votos ao Senhor, agora, na presença de todo o seu povo.

15Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos.

16Ó Senhor, deveras sou teu servo; sou teu servo, filho da tua serva; soltaste as minhas ataduras.

17Oferecer-te-ei sacrifícios de louvor e invocarei o nome do Senhor.

18Pagarei os meus votos ao Senhor; que eu possa fazê-lo na presença de todo o meu povo,

19nos átrios da Casa do Senhor, no meio de ti, ó Jerusalém! Louvai ao Senhor!