Extraordinário curso em 10 lições, com questionários incluídos, ideal para refletir, realizar um diagnóstico e reconstruir os relacionamentos familiares, sempre com a palavra e a noção de Amor como fundamento.

Lições

Diálogo: Um Bom Remédio

Quando duas pessoas se relacionam, especialmente no casamento, levam consigo antecedentes, cultura e estilos de comunicação peculiares. Dois estilos de vida diferentes, resultados de experiências e características pessoais, estão a ser fundidos numa única unidade. A não ser que cada uma tenha grande capacidade de comunicação e compreensão para com a outra, nunca conseguirão uma intimidade satisfatória.

A incapacidade de comunicação é a queixa mais comum que psicólogos e terapeutas de casais ouvem nos dias de hoje. Uma pesquisa realizada com conselheiros matrimoniais, mostrou que a maior percentagem dos problemas a tratar se relacionava com a falta de comunicação.

I - Dialogar é Extremamente Importante

O que significa comunicar-se? De acordo com os dicionários, comunicar significa transmitir ou permutar pensamentos, sentimentos, informação ou factos semelhantes, oralmente ou por escrito.

O Dr. H. Normam Wright, conselheiro matrimonial, tem uma definição simples: ?Comunicação é o processo (verbal e não verbal) de partilhar informação com outra pessoa, de maneira que ela entenda o que foi dito. Falar, ouvir e entender são actos envolvidos no processo de comunicação.?

Comunicação significa, realmente, partilhar de si mesmo com outra pessoa. O diálogo é uma necessidade vital para os casais de hoje.

Há seis mensagens presentes no processo de comunicação:

  • 1 > O que se quer dizer.

  • 2 > O que realmente se diz.

  • 3 > O que a outra pessoa ouve.

  • 4 > O que a outra pessoa pensa que ouve.

  • 5 > O que a outra pessoa diz acerca do que lhe foi dito.

  • 6 > O que se acha que a outra pessoa disse acerca do que lhe foi dito.

Por tudo isso, é importante que o casal compreenda a importância da comunicação e aprenda a comunicar eficazmente.

?Falar com sabedoria é mais precioso do que ouro e rubis em abundância? (Provérbios 20:15).

Lembre-se que, no casamento, a comunicação é simplesmente o meio de nos conhecermos melhor um ao outro. Quanto maior a capacidade de comunicação, mais profunda a satisfação do casal no relacionamento. Duas pessoas que vivem muito próximas mostrarão as suas diferenças vindas de sensibilidades, percepções e grelhas de interpretação diferentes. Se estas diferenças não forem discutidas, esclarecidas e analisadas, levarão inevitavelmente à confusão e ao conflito.

Muitos acham que falar é comunicar ? pois a finalidade é expressar o seu ponto de vista. Uma comunicação significativa, no entanto, tem dois aspectos ? falar e ouvir. Para além do facto de que a comunicação verbal não é o único tipo de comunicação no casal. A linguagem não verbal, assim como a ternura e a sexualidade, são poderosas maneiras de comunicar sem palavras. Mas o aspecto mais negligenciado da comunicação conjugal é, sem dúvida, o ouvir.

Os escoceses chegaram à conclusão de que devemos ouvir duas vezes mais do que falar. Shakespeare diz: ?Dê a todo homem o seu ouvido, mas a poucos a sua boca.?

?Gravem isto na memória, meus queridos irmãos: Cada um deve estar sempre pronto para ouvir; mas não deve precipitar-se no falar? (Tiago 1:19).

II - Atitudes que Bloqueiam a Comunicação:

Criticar, erguer a voz, acusar, exigir, ameaçar, punir e manipular pela culpa, são tentativas de mudar uma situação e forçar a outra pessoa a fazer o que se quer. Quando um cônjuge usa essas estratégias, está apenas a tentar controlar o outro, e não a obter a sua colaboração. Evite manifestar as seguintes atitudes:

  • EVITAR ? ?Vamos falar de coisas mais agradáveis!?
  • INTERPRETAR ? ?Tu não acreditas realmente nisso.?
  • ROTULAR ? ?Olha lá, Sr. Espertalhão??
  • EXIGÊNCIA ? ?Pára de perguntar onde eu estava!?
  • ACUSAÇÃO ? ?Tu és o problema, pois todos os dias me perguntas a mesma coisa.?
  • CRÍTICA ? ?Esse é um ponto de vista imaturo!?
  • AMEAÇA ? ?Falas tanto no problema, que vou acabar por fazê-lo.?
  • PUNIÇÃO ? ?Por me chateares tanto, amanhã vou chegar tarde a casa.?
  • COERÇÃO ? ?Eu não estou a brincar, pára de falar, se não??
  • MANIPULAÇÃO PELA CULPA ? ?Estou perturbado por tua causa!?

Porque falham estas estratégias manipuladoras?

1 ? Criam uma atmosfera desagradável, substituindo a alegria e a segurança do relacionamento por tensão, ansiedade, discórdia e desconfiança.

2 ? Não são eficientes na resolução de problemas. Se, em vez de exigir, um parceiro ouvir respeitosamente o ponto de vista do outro, levando-o em consideração, poderá descobrir soluções melhores e mais duradouras.

3 ? Criam a falsa sensação de que o problema foi resolvido. Se um parceiro não compreender as razões do outro, o problema continuará a existir, embora de modo oculto.

4 ? Provocam retaliação. O parceiro ofendido por essas estratégias atacará e vingar-se-á do outro, mais cedo ou mais tarde, de maneira igualmente negativa.

5 ? Palavras envenenadas destroem o amor. Exigir e humilhar não torna ninguém muito digno de ser amado. O cônjuge dominado e humilhado, aos poucos deixará de sentir afecto pelo outro. Além disso, as palavras envenenadas também destroem o amor naquele que as profere.

Quando o casal entende a importância de desenvolver um diálogo eficiente e reparador, capaz de solucionar os problemas sem que um parceiro domine o outro, as rupturas na harmonia conjugal desaparecem, pois os dois procuram compreender-se mutuamente e encontram soluções que satisfazem as necessidades de cada um, contribuindo significativamente para a resolução dos seus problemas.

III - Como Comunicar de Maneira Positiva

A ? Fazer uma boa transmissão

As mensagens devem ser: Claras, dizendo realmente o que se quer dizer; Oportunas, mensagens ditas no mau momento não obtêm bons resultados; Congruentes, ou seja, lógicas e adequadas à situação em causa.

B ? Ser honesto

Ser honesto é fazer coincidir as nossas palavras com o nosso pensamento real; é ousar tirar as máscaras e ser autêntico. É necessária muita coragem para se ser autêntico, mas isso é o preço a pagar para se obter relacionamentos profundos e satisfatórios.

C ? Usar de tacto

Sobretudo se a mensagem for susceptível de magoar, analise se vale a pena dizer e como deve dizer; abstenha-se sempre de fazer comparações negativas, de acusar ou expor o outro.

D ? Manter o controlo sobre:

1 ? O volume da voz ? Não permitir que este suba e provoque no outro uma reacção análoga.

2 ? O tema da conversa ? Não fugir do tema em causa para outros, ou para acontecimentos passados.

3 ? O uso de expressões absolutas ? Expressões como ?Nunca?, ?Sempre?, ?Jamais? têm o efeito de ferir ou irritar o outro e, na generalidade, são injustas.

4 ? O curso da conversação ? Ser capaz de parar uma conversa infrutífera, sugerindo o seu recomeço para uma outra ocasião em que as condições sejam mais propícias.

E ? Usar mensagens ?Eu?

As mensagens enviadas na primeira pessoa, ?Eu?, nas quais se expressam sentimentos, opiniões e necessidades, são mais positivas e melhor acolhidas pelo outro do que as mensagens enviadas na segunda pessoa, ?Tu?, que quase sempre soam a acusação ou ordem. É melhor dizer: ?Estou cansado e preciso de silêncio? do que dizer ?Pára de fazer barulho?. A primeira é um pedido, a segunda é uma ordem, a reacção a uma e a outra será diferente.

IV - Como Ser Um Bom Ouvinte

A ? Ouvir em silêncio ? O silêncio é uma mensagem não verbal poderosa que revela respeito, disponibilidade e interesse, ajudando o cônjuge a sentir-se aceite, capaz e a progredir, criando uma relação de confiança.

B ? Ouvir activamente ? Chama-se ?escuta activa? a um conjunto de atitudes, por parte da pessoa que ouve, na tentativa de compreender o outro e ajudá-lo a encontrar por si próprio a solução ao problema que apresenta, quer seja connosco quer seja com outros que têm o problema. Essas estratégias consistem em:

C ? Procurar compreender.

D ? Dar ao cônjuge apreço, dignidade e importância.

E ? Ser realista e incentivador.

F ? Saber guardar confidências.

G ? Esperar pelo momento certo.

H ? Partilhar os sentimentos.

I ? Evitar adivinhar.

J ? Responder, mostrando que compreende o que o outro está a sentir.

K ? Ser franco.

V - Ser Perseverante

A maneira como nos comunicamos no casamento, foi herdada da maneira como os nossos pais, e outros, se comunicaram connosco ao longo da nossa vida. Inconscientemente, repetimos os mesmos erros de comunicação, que provocam os mesmos problemas, e encontramos as mesmas dificuldades em resolvê-los. Adoptar uma comunicação positiva e eficaz como a que é descrita nesta lição, que permite resolver diferenças e problemas, não é fácil, pois exige:

Vontade ? para quebrar os hábitos adquiridos e enraizados.

Perseverança ? será necessário recomeçar muitas vezes até que os novos hábitos de comunicar se instalem. Não desista nunca, pois desistir é renunciar a uma relação plenamente satisfatória, que só uma comunicação positiva pode proporcionar.

?A morte e a vida estão à mercê da língua; os que gostam de falar aceitam as consequências? (Provérbios 18:21).

?Todos cometemos muitos erros. E se alguém não erra por palavras, é equilibrado e capaz de dominar toda a sua pessoa? (Tiago 3:2).